Versos Satânicos, por Salman Rushdie




Primeiro livro que terminei de ler em 2017! Já começamos com estilo: uma obra de 1989.

Esse livro deu ao autor o Whitbread Prize e uma sentença de morte promulgada pelo aiatolá Khomeini. Felizmente o autor está vivo e escrevendo mais livros.

É um livro essencialmente lúdico, mas que também trata de temas bem sérios. Os dois personagens principais são o completo oposto um do outro. Gibreel é um ator indiano bastante orgulhoso de seu país, que admira apenas produções nacionais e é bastante alegre. Saladin, outro ator indiano, vai morar na Inglaterra, casa-se com uma inglesa e tenta tornar-se inglês em tudo, sendo de temperamento mais discreto. O avião em que os dois viajavam é vítima de um ataque terrorista e, antes de atingirem o solo para a morte, Gibreel transforma-se em anjo e Saladin em demônio.

A partir daí, os dois irão se envolver numa série de acontecimentos fantásticos, num estilo de realismo mágico. Admirável o capítulo que descreve a peregrinação para Meca, com o intuito de o anjo abrir o Mar da Arábia. Há muitas outras passagens memoráveis e profundas.

Foi uma leitura única. Esse livro deve ser conhecido. É verdade que o autor expressa certo desrespeito em relação a religiões (não somente a islâmica), mas creio que eu entendi o ponto ao qual desejava chegar.
 



Comentários