The Case Against Sugar, por Gary Taubes




Sabemos que é o consumo de açúcar que leva ao diabetes tipo 2, mas esse conhecimento nem sempre foi evidente. Existem certos órgãos dos EUA, como o FDA (Food and Drug Administration), que pagam pesquisadores para defender os interesses financeiros das indústrias (indústria farmacêutica, as grandes indústrias alimentícias cujos produtos contém muito açúcar e carboidratos refinados, etc).

Na época que se descobriu que era o cigarro que causava o câncer de pulmão, muitos pesquisadores foram pagos para fazer pesquisas erradas e se espalhava informações confusas para confundir o consumidor, como "mais pesquisas precisam ser feitas" ou "não há evidências seguras que sugerem" ou "as causas são multifatoriais". Enfim, um monte de frases frequentemente prolixas e vazias para distrair as pessoas do foco do problema. 

É muito mais fácil, por exemplo, fazer as pessoas comprarem frasquinhos de vitamina D em vez de recomendar consumir mais a gordura natural dos alimentos e assim absorver melhor a vitamina D proveniente do sol (essa vitamina é lipossolúvel, ou seja, solúvel em gordura). A propósito, não é o sol que causa o câncer de pele. As pessoas fogem do sol para fugir do câncer de pele e ficam com falta de vitamina D. Se fosse verdade que o sol causa câncer, muitas populações tribais dos trópicos que vivem no sol o dia todo teriam esse câncer, mas esse e os mais diversos tipos de câncer são raríssimos ou inexistentes nessas populações. O sol só "causa" câncer em populações que se alimentam extremamente mal. Mas não foi o sol o fator principal e sim o alimento. Isso faz toda a diferença.

Mas estou desviando o foco da conversa. Voltemos ao açúcar. Levou muito tempo até que os pesquisadores vencessem a luta contra as informações desonestas vinculadas às indústrias alimentícias e finalmente se aceitasse que, sim, é o açúcar que causa a diabetes tipo 2!

Pois bem, açúcar causa obesidade e diabetes. E adivinhe só, pessoas obesas e diabéticas têm uma chance muito maior de ter hipertensão, doenças cardíacas, câncer e demência. A propósito, os diabéticos têm duas vezes mais chance de desenvolver Alzheimer (chamado por alguns médicos de "diabetes tipo 3").

Estou resumindo superficialmente as informações do livro, mas a teoria é que, assim como o cigarro é o fator mais importante para se desenvolver câncer de pulmão, o açúcar é o principal culpado de praticamente todas as doenças crônicas que atingem a população ocidental. 

Tudo bem, disso tudo eu já sabia. Mas o que me surpreendeu nesse livro foi saber que o cigarro é viciante por causa do açúcar adicionado nele. Antes do século XX, charutos e cachimbos tinham apenas tabaco e devido ao teor alcalino da fumaça ela não penetrava nos pulmões. Porém, os americanos, com a marca Camel (e muitas outras marcas de cigarro que viriam depois), adicionaram açúcar na fórmula do cigarro, que fazia com que a fumaça ácida pudesse ser absorvida pelos pulmões. Ou seja, é o açúcar contido no cigarro que leva a nicotina aos pulmões, causando o vício. Em suma, no fundo o açúcar é o maior responsável pela explosão dos casos de câncer de pulmão no século XX, pois antes disso esse era um câncer extremamente raro. Como, diga-se de passagem, todos os outros.

Outra tese que o autor mostra é que não é o sal o culpado pela hipertensão. Abolir o sal da dieta apenas alivia um dos sintomas. Para eliminar a causa é preciso eliminar o açúcar da dieta. 
Viver sem açúcar significa não comer mais nenhum tipo de comida processada/industrializada, já que, segundo o autor, virtualmente toda comida processada contém açúcar. Às vezes eles disfarçam nos ingredientes e dão ao açúcar uma das dezenas de nomes que ele tem, como xarope de glicose, etc.

Será que um fumante consegue apenas fumar de vez em quando e assim eliminar seu risco de ter câncer de pulmão? Ou será que não seria melhor parar completamente com o cigarro? O mesmo não poderia ser dito para o açúcar? Afinal, mesmo baixas doses alteram nossos hormônios e nos fazem querer mais. Até porque estimulamos as bactérias do nosso intestino a isso.

Preciso estudar mais fisiologia e bioquímica no futuro para entender melhor todas essas relações. O ideal seria comprar o livro de bioquímica do Lehninger, como minha irmã sugeriu, para ela me explicar melhor como a coisa toda funciona.

E agora vou começar a ler o livro da Nina!



Comentários

  1. Respostas
    1. Oi Bruna! Eu que agradeço!
      Na verdade ainda estudo magia do caos. Nesse fim de semana mesmo eu e umas amigas vamos fazer um encontro para debater caoísmo. Eu apenas dei uma pausa na magia do caos por alguns meses para estudar cristianismo por causa de um retiro que fiz nesse início de ano. Agora que o retiro passou, sigo adiante com novas aventuras.
      O Crowley se baseou em alguns sistemas de magia já prontos e inventou outros, assim como o Peter Carroll. O conceito de servidores já existe há um bom tempo na magia, mas assumiu uma forma bastante particular na magia do caos.

      Excluir

Postar um comentário