Rousseau em 90 minutos, por Paul Strathern




Uns doze anos atrás eu tinha muita vontade de ler "Emílio". Procurei o livro em todo lugar e não o encontrei. Imagino que se eu o tivesse lido naquela época ele teria influenciado bastante na minha visão de mundo. Ainda quero ler. Até hoje, de Rousseau só li "O Contrato Social".

Mas um pouco depois dessa época li "Walden" de David Thoreau, que também propõe um retorno à natureza. Essa ideia romântica me atraía. Tolstói também carrega um pouco desse romantismo. O amor pelos camponeses, que é uma ideia cristã.

Os escritos de Rousseau teriam forte influência sobre os idealizadores da Revolução Francesa e também sobre Marx. Mas será que o problema está mesmo na propriedade privada? Ou só na propriedade privada dos meios de produção? Ou, onde está o problema?

Confesso que fui profundamente influenciada por alguns autores cristãos conservadores que li nesses últimos dois anos. Principalmente pelo distributismo de G.K. Chesterton. Eu não acredito mais que exista uma solução simples que irá salvar o mundo, implementada pelos bons contra os maus. 

Apesar de tudo, Rousseau tem muitas ideias originais. Talvez eu goste de algumas delas, enquanto outras não são realmente a minha praia. Voltaire falando sobre as ideias de Rousseau, por outro lado, é um espetáculo imperdível.


Comentários