Pauliceia Desvairada, por Mário de Andrade




“Todo escritor acredita na valia do que escreve. Si mostra é por vaidade. Si não mostra é por vaidade também”

“A língua brasileira é das mais ricas e sonoras. E possui o admirabilíssimo: ‘ão’”

“Quando uma das poesias deste livro foi publicada, muita gente me disse: ‘Não entendi’. Pessoas houve também que confessaram: ‘Entendi, mas não senti’. Os meus amigos... percebi mais duma vez que sentiam, mas não entendiam. Evidentemente meu livro é bom”

“Batat’ assat’ô furnn!”

“E o ciúme universal às fanfarras gloriosas
De sais cor-de-rosa e gravatas cor-de-rosa!”



Como sou fã de Macunaíma, queria conhecer mais obras do Mário de Andrade. Então aí está.

Ao ler esse livro me dei conta de como sou conservadora com a linguagem. O autor assassina o português na cara dura. Formidável!

Esse cara é engraçado de uma forma absolutamente natural.


Comentários