Schopenhauer, por Paul Strathern




Esse cara sdsdhsuhfdufd

Sei lá. Nunca gostei muito dele. Nem é porque ele fala mal de mulheres, isso é o de menos. Não gosto é do pessimismo.

Eu adoro as religiões indianas, mas não interpreto o hinduísmo ou o budismo de forma pessimista. Na verdade tendo a entender que religiões em geral são muito otimistas, pois apontam uma possibilidade de salvação ou redenção.

Eu devo ser tão otimista porque amo religiões e sempre acreditei que é possível ser feliz não só no outro mundo, mas nesse mundo mesmo. E pra ser feliz você não precisa estar saltitando o tempo todo, mas aprender que a dor também faz parte da vida e é o nosso maior mestre, embora um mestre rabugento.

Faz tempo que não leio o Schop, mas nunca tive muita paciência para ler muita coisa dele. Lembro que gostei daquela frase dele que diz que se o sono é o irmão da morte, o desmaio é sua irmã gêmea. Como já desmaiei várias vezes ao longo da minha vida, é agradável pensar que conheci um pouquinho do que é a morte. E confesso que não foi tão ruim.


Comentários